Mensagens de Luz  
 
 
  Textos Espíritas  
 
 
  Guia de Centros Espíritas  
 
 
  Fale Conosco  
 
 
Página Inicial - O Espiritismo
 Home
 A Doutrina
  O que é?
  Conheça Allan Kardec
  Biografias
  Galeria de Imagens
  Fale Conosco
  Links Indicados
  Sugestão de Livros
  Obras Básicas
 O Espiritismo e Você
  Mensagens de Luz
  Textos Espíritas
  Guia de Endereços
  de Centros Espíritas
 
 
>> MURAL DE RECADOS
 
Mural
De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 20/04/18 07:55

O mal nunca é uma necessidade, por que, se fosse a pedofilia seria uma necessidade, as drogas seriam uma necessidade, roubar e matar seria uma necessidade, mentir e explorar seria uma necessidade, os crimes seriam uma necessidade.
O mal nunca é uma necessidade, por que, o mal é criado pelo mau uso do Livre arbítrio e não por fatalidades cegas do destino.
O ser humano tem sempre Livre arbítrio para pensar, raciocinar e agir na vida terrena, seguir a Luz ou a escuridão depende somente de nós mesmos.
O Destino é obra nossa.
Ninguém se reencarna no mundo terra para ser bandido, para roubar, matar, estuprar e usar drogas quando uma pessoa segue o caminho do mal e dos crimes isso é o mau uso do Livre arbítrio na encarnação presente.
O espírito se reencarna para evoluir moralmente e intelectualmente pela pratica do bem e das Virtudes, se melhorando moralmente.
Portanto, necessidade é praticar sempre boas obras.
Nós temos sempre Livre arbítrio para pensar, raciocinar e agir na vida terrena, nós construímos nosso destino e nossa evolução espiritual.

Vc tem Livre arbítrio não se esqueça disso.

Wilson Moreno

De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 16/04/18 07:38

As entidades

Os espíritos elevados e superiores não pedem coisas materiais e terrenas como cigarros, charutos, bebidas alcoólicas, despachos, velas e comidas quem pede essas coisas são espiritos inferiores e atrasados moralmente que ainda estão apegados a matéria.
Esses espiritos estão ainda apegados as sensações terrenas de baixas vibrações psíquicas.
Um espírito elevado não fala palavrões e nem pede bebidas alcoólicas, charutos e oferendas, vemos claramente que são espiritos ainda atrasados que estão apegados aos vícios e desejos terrenos.
E quem se envolve com esses espíritos corre risco de ficar perturbado e obsedado por que esses espíritos estão ainda muito materializados.
Os espíritos elevados só pregam o bem, as Virtudes, a elevação moral, a caridade, a pureza dos pensamentos, a fé racional, o desapego das coisas materiais.
Os espíritos elevados e superiores tentam sempre moralizar e espiritualizar os encarnados.
E essas praticas de dar para esses espíritos o que eles pedem como bebidas, fumo, comida e despachos vai manter esses espíritos apegados a matéria, eles vão se materializar cada vez mais com essas praticas.
Eles precisam se desapegar dessas coisas materiais e terrenas para poderem evoluir espiritualmente.
Eles precisam se desapegar da matéria.

Os maus espíritos não conseguem se aproximar das pessoas que estão com pensamentos elevados e positivos e que procuram se melhorar moralmente.
Uma pessoa de vontade forte, que é honesta e correta, tem bons pensamentos e boas atitudes e procura se melhorar espiritualmente e moralmente ela repele as vibrações negativas e densas dos espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano espiritual.
Não havendo sintonia mental eles se afastam das pessoas, portanto, a proteção espiritual quem faz é a própria pessoa pelos seus pensamentos, vontade, raciocínio e elevação moral.
Agora um encarnado fraco na vontade, com maus pensamentos, maus desejos, maus hábitos, com vícios que se irrita com facilidade ele será um alvo fácil para os espíritos obsessores.
Os maus espíritos adoram pessoas que se irritam com facilidade.
Tudo depende das nossas condições morais e mentais.
Não devemos esquecer que tudo no mundo espiritual é sintonia mental e afinidade moral, estamos sempre atraindo bons ou maus espíritos pelos nossos pensamentos e conduta moral.
Evite as discussões, os palavrões, as irritações e maus pensamentos tudo isso é um IMÃ DE ATRAÇÃO PSÍQUICA para energias negativas e espíritos inferiores e perturbadores.

Wilson Moreno


De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 09/04/18 09:10

Vós sois deuses



Vós sois deuses, lembrou-nos o Mestre de Nazaré, referindo-se à nossa condição de seres imortais.

Podeis fazer tudo que faço e muito mais, acrescentou ainda.

Recordamos-lhe a vida e O vemos andando pelas estradas, atendendo o povo, sem cansaço.

O povo, a Sua paixão. Onde se manifestasse a dor, ei-lO a espalhar o consolo.

Ele adentra Naim e deparando-se com um cortejo fúnebre que levava ao sepulcro um corpo jovem, compadece-se da mãe em prantos.

Estanca o passo dos homens e ordena ao moço, que estava em sono letárgico, que se erga, devolvendo-o à mãe, agora em júbilo.

Ele convive com a má-vontade e a ignorância dos homens. Ouve as perguntas, tolas por vezes, que lhe são dirigidas e as responde, elucidando.

Vai à casa dos apontados como corruptos, serve-se do momento para ensinar o bem, sem macular-se.

Ergue a mulher equivocada de Magdala, convidando-a à reformulação íntima.

Recebe-lhe as demonstrações de carinho e ternura, mas insiste no convite à mudança de atitude.

Imparcial, sempre. Sereno, também.

Devolve a vista ao cego de nascença e lhe recomenda nada dizer a ninguém.

Como se pudesse o beneficiado deter a cascata de alegrias de que se revestiu.

Liberta o homem de Gadara de legião, os Espíritos que o atormentavam.

Aponta diretrizes renovadas à samaritana, no poço de Jacó e lhe possibilita o crescimento espiritual.

Da virtude que emana de Seu Espírito oferta a cura ao problema hemorrágico da mulher das distantes terras de Cesareia de Felipe.

Entra, triunfante, em Jerusalém, sem, no entanto, prender-se às efêmeras manifestações de júbilo com que o recebe o povo.

Podeis fazer muito mais...

* * *

Obediente à afirmação do Cristo, Albert Schweitzer embrenhou-se no coração da África equatorial francesa e se dedicou aos seus irmãos negros.

Construiu seu hospital do nada, praticamente com as próprias mãos. Tudo para atender os pacientes africanos atacados de todas as doenças, desde lepra até elefantíase.

Foi-lhes médico, pastor, professor. Suportou-lhes a ignorância que os fazia comer os unguentos receitados para enfermidades da pele.

Ou beber de uma vez o vidro de medicamento destinado a durar semanas. Ou quando tentavam envenenar outros internados.

Quando o silêncio descia sobre o resto do acampamento, ele trabalhava até meia-noite ou mais tarde ainda, escrevendo ou respondendo cartas.

Quando partiu para a África, Schweitzer pensou que estava abandonando para sempre as coisas que lhe eram mais caras: a arte e o ensino.

Mas sempre teve um piano consigo e assim pôde manter em dia sua música. Suas gravações de Bach em órgão obtiveram grande êxito.

Cada vez que voltava à civilização, fazia uma longa série de conferências, tendo sido homenageado por inúmeras universidades.

Além disso, trabalhando à noite, manteve uma produção literária constante.

Os homens lhe reconheceram a grandeza. Ele recebeu o Prêmio Nobel da Paz, em 1952.

Vós sois deuses... Podeis fazer muito mais...

Schweitzer fez. Que podemos nós realizar?

Pensemos nisso.

Redação do Momento Espírita, com transcrição
do Evangelho de João, cap. 10, versículo 34 e
cap. 14, versículo 12.
Em 9.4.2018.

De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 05/04/18 07:31

Podemos contar com nossos amores



Aquela havia sido uma semana muito difícil para ele.

Empresário dedicado e responsável, enfrentava complicações múltiplas na organização, que já contava com mais de duas décadas de existência.

Depois de mais uma noite mal dormida, dessas em que nos mantemos despertos, tentando encontrar soluções para os problemas, ele levava a filha caçula, de cinco anos, para a escola.

A alegria da menina fazia com que ele esquecesse, por alguns instantes, de todas as batalhas que o aguardavam. Um breve descanso para aquela alma guerreira.

Pararam o carro, desceram, e como sempre fazia, levou-a até à entrada da instituição de ensino.

Iam se despedir, como de costume, quando ela, subitamente, caiu em pranto e o abraçou fortemente.

Ela nunca reclama de ir à escola. – Pensou ele. O que aconteceu? Ela estava tão bem.

Depois de alguns instantes, sem conseguir falar, ela lhe disse: Papai, quero ir trabalhar com você! – E continuou abraçando-o ainda em lágrimas.

Ele entendeu a razão do pranto, e também se emocionou.

Mesmo sem ele dizer o que se passava em seu íntimo, ela havia percebido que o coração de seu amado pai estava triste.

Não sabendo como expressar sua vontade de ajudar, de fazê-lo alegre novamente, de consolá-lo, ela propõe ir trabalhar com ele.

Que bela e singela expressão de amor... Desse amor que deseja ver aqueles que estão ao nosso lado bem, felizes, em paz.

E nada mais completo e puro que a expressão de uma criança, dizendo ao seu pai: Estou aqui, quero ajudar, não fique assim.

* * *

Irradiamos, sem perceber, tudo aquilo que vai em nossa alma. Mesmo que nos escondamos por trás da mudez, do silêncio, emitimos vibrações constantemente.

Quem tem sensibilidade pode captar. Quem nos ama e se importa conosco está sempre atento, e disposto a ajudar.

E ainda, em muitas oportunidades, a Providência Divina se utiliza desses que estão ao nosso redor, para nos enviar conselhos, palavras amigas e emissões de carinho.

Sim, o Criador nos fala das mais diferentes formas possíveis. Cabe-nos saber ouvi-lO.

Na proposta da filha antes citada, talvez estivesse o abraço de Deus dizendo:

Sei que as batalhas são muitas, e que, por vezes, você se sente fraco, impotente. Mas saiba que não está só. Aqueles que o amam, em Meu nome, estão ao seu lado.

Não há vitória sem batalha. Não há conquista sem lutas. O guerreiro merecedor do descanso e do triunfo é aquele que se mantém firme, e que segue até o fim.

* * *

Ao mesmo tempo que estamos cercados de desafios e de lutas, estamos amparados pelo amor das Leis Divinas.

Nunca estamos abandonados, embora muitas vezes achemos que nossa luta é solitária.

Podemos contar com o porto seguro da família, das relações saudáveis da amizade, e com a confiança de que tudo acabará bem.

Procuremos sintonizar sempre com os planos espirituais mais elevados, através dos pensamentos positivos e da oração sincera, para que mais facilmente possamos receber o auxílio necessário.

Observemos a vida ao nosso redor, e não nos permitamos fechar nas cavernas solitárias da aflição, da ansiedade, e do autoterrorismo.

As tantas lutas valerão a pena. Tenhamos certeza plena disso.

E, se muitos acham que a vida é feita de incertezas, e se desesperam com facilidade, aqui vai mais uma certeza reconfortante:

A de que podemos contar sempre com nossos amores.

Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita,
v. 14, ed. FEP.
Em 2.4.2018.

De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 03/04/18 11:13

Cautela com as Comunicações Mediúnicas.
Vejamos esse texto de Kardec.

Quem possua uma noção, por pouco profunda que seja, do Espiritismo, sabe que o mundo invisível é composto de todos aqueles que deixaram na Terra seu envoltório visível; mas, em se despojando dele, o homem carnal, nem todos, por isso, revestiram a túnica dos anjos. Portanto, os há de todos os graus de saber e de ignorância, de moralidade e de imoralidade; eis o que não é necessário perder de vista
NÃO ESQUEÇAMOS QUE, ENTRE OS ESPÍRITOS, COMO NA TERRA, HÁ SERES LEVIANOS, ESTOUVADOS E ZOMBETEIROS; PSEUDO-SÁBIOS, VÃOS E ORGULHOSOS DE UM SABER INCOMPLETO; HIPÓCRITAS, MAUS; E O QUE NOS PARECERIA INEXPLICÁVEL, SE NÃO CONHECÊSSEMOS, DE ALGUMA SORTE, A FISIOLOGIA DESSE MUNDO, É QUE HÁ SENSUAIS, VIS, CRÁPULAS, QUE SE ARRASTAM NA LAMA.

Ao lado disso, sempre como na Terra, tendes seres bons, humanos, benevolentes, esclarecidos, sublimes de virtudes; mas como o nosso mundo não está nem na primeira, nem na última classe, embora esteja mais vizinho da última do que da primeira, disso resulta que o mundo dos Espíritos encerra seres mais avançados intelectual e moralmente do que os nossos homens mais esclarecidos, e outros que estão ainda abaixo dos homens mais inferiores.

Desde que esses seres têm um meio patente de se comunicarem com os homens, de exprimirem seus pensamentos por sinais inteligíveis, suas comunicações devem ser o reflexo de seus sentimentos, de suas qualidades ou de seus vícios; elas serão levianas, triviais, grosseiras, obscenas mesmo, sábias, prudentes ou sublimes, segundo seu caráter e sua elevação. Eles mesmos se revelam pela sua linguagem; DAÍ A NECESSIDADE DE NÃO ACEITAR CEGAMENTE TUDO O QUE VEM DO MUNDO OCULTO, E DE SUBMETÊ-LO A UM CONTROLE SEVERO.

As comunicações grosseiras e inconvenientes, ou simplesmente falsas, absurdas e ridículas, não podem emanar senão de Espíritos inferiores: o simples bom senso o indica. Esses Espíritos fazem o que fazem os homens que se vêem escutados com complacência se ligam àqueles que admiram suas tolices e, freqüentemente, deles se apoderam e os dominam ao ponto de fasciná-los e subjugá-los. A importância que se dá às suas comunicações, pela publicidade, os atrai, os anima e os encoraja. O ÚNICO, O VERDADEIRO MEIO DE AFASTÁ-LOS, É PROVAR-LHES QUE NÃO SE É SUA VÍTIMA, REJEITANDO IMPLACAVELMENTE, COMO APÓCRIFO E SUSPEITO, TUDO O QUE NÃO É RACIONAL, TUDO O QUE DESMENTE A SUPERIORIDADE QUE SE ATRIBUI O ESPÍRITO QUE SE MANIFESTA, E O NOME COM O QUAL SE VESTE: ENTÃO, QUANDO ELE VÊ QUE PERDE O SEU TEMPO, RETIRA-SE.

Allan Kardec
Revista Espirita ANO 2 - NOVEMBRO 1859 - Nº. 11



De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 31/03/18 09:06

Os Passes e as Obsessões.

Um médium que bebe e fuma não tem condições de aplicar passes.
Bebidas alcoólicas, cigarros, charutos prejudicam muito os trabalhos de passes, o médium deve procurar se elevar moralmente, cultivar pensamentos nobres e positivos, praticar o bem e as Virtudes, sabe se disciplinar mantendo a sua mente sempre limpa com bons pensamentos.
O médium tem que se elevar moralmente e espiritualmente.
Um médium que bebe, fuma não sabe elevar seus pensamentos não procura se melhorar moralmente ele vai entrar em sintonia mental com espiritos inferiores que possuem vícios e maus desejos.
Por que, tudo no mundo espiritual ou plano astral é sintonia mental e afinidade moral.
O Bem tem sintonia com o Bem.
O mal tem sintonia com o mal.
Os médiuns que bebem e fumam estão atraindo espiritos de alcoólatras e fumantes desencarnados, portanto, se livrar dos vícios é muito importante para nossa evolução espiritual.
Os médiuns na umbanda fumam e bebem dessa forma eles passam a atrair espiritos desencarnados que possuem esses vícios.
Bebidas alcoólicas, cachaça, cigarros, charutos, despachos só podem atrair espiritos inferiores e atrasados moralmente, esses espiritos estão ainda apegados a matéria.

Os maus espíritos não conseguem se aproximar das pessoas que estão com pensamentos elevados e positivos e que procuram se melhorar moralmente.
Uma pessoa de vontade forte, que é honesta e correta, tem bons pensamentos e boas atitudes e procura se melhorar espiritualmente e moralmente ela repele as vibrações negativas e densas dos espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano espiritual.
Não havendo sintonia mental eles se afastam das pessoas, portanto, a proteção espiritual quem faz é a própria pessoa pelos seus pensamentos, vontade, raciocínio e elevação moral.
Agora um encarnado fraco na vontade, com maus pensamentos, maus desejos, maus hábitos, com vícios que se irrita com facilidade ele será um alvo fácil para os espíritos obsessores.
Os maus espíritos adoram pessoas que se irritam com facilidade.
Tudo depende das nossas condições morais e mentais.
Não devemos esquecer que tudo no mundo espiritual é sintonia mental e afinidade moral, estamos sempre atraindo bons ou maus espíritos pelos nossos pensamentos e conduta moral.
Evite as discussões, os palavrões, as irritações e maus pensamentos tudo isso é um IMÃ DE ATRAÇÃO PSÍQUICA para energias negativas e espíritos inferiores e perturbadores.

Wilson Moreno



De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 28/03/18 07:40

As Observações de Erasto para os Médiuns

Os médiuns levianos, pouco sérios, chamam, pois, os Espíritos da mesma natureza. É por isso que as suas comunicações se caracterizam pela banalidade, a frivolidade, as idéias truncadas e quase sempre muito heterodoxas, falando-se espiriticamente. CERTAMENTE ELES PODEM DIZER E DIZEM ÀS VEZES BOAS COISAS, MAS É PRECISAMENTE NESSE CASO QUE É PRECISO SUBMETÊ-LAS A UM EXAME SEVERO E ESCRUPULOSO.
PORQUE, NO MEIO DAS BOAS COISAS, CERTOS ESPÍRITOS HIPÓCRITAS INSINUAM COM HABILIDADE E CALCULADA PERFÍDIA FATOS IMAGINADOS, ASSERÇÕES MENTIROSAS, COM O FIM DE ENGANAR OS OUVINTES DE BOA FÉ.

DEVE-SE ENTÃO ELIMINAR SEM PIEDADE TODA PALAVRA E TODA FRASE EQUÍVOCAS, CONSERVANDO NO DITADO SOMENTE O QUE A LÓGICA APROVA OU O QUE A DOUTRINA JÁ ENSINOU. As comunicações dessa natureza só são perigosas para os espíritas que agem isolados, os grupos recentes ou pouco esclarecidos, porque, nas reuniões de adeptos mais adiantadas e experientes, é inútil a gralha se adornar com penas de pavão, pois será sempre impiedosamente descoberta.

Na dúvida, abstém-te, diz um dos vossos antigos provérbios. Não admitais, pois, o que não for para vós de evidência inegável. AO APARECER UMA NOVA OPINIÃO, POR MENOS QUE VOS PAREÇA DUVIDOSA, PASSAI-A PELO CRIVO DA RAZÃO E DA LÓGICA.

O QUE A RAZÃO E O BOM SENSO REPROVAM, REJEITAI CORAJOSAMENTE. MAIS VALE REJEITAR DEZ VERDADES DO QUE ADMITIR UMA ÚNICA MENTIRA, UMA ÚNICA TEORIA FALSA.Com efeito, sobre essa teoria poderíeis edificar todo um sistema que desmoronaria ao primeiro sopro da verdade, como um monumento construído sobre a areia movediça. Entretanto, se rejeitais hoje certas verdades, porque não estão para vós clara e logicamente demonstradas, logo um fato chocante ou uma demonstração irrefutável virá vos afirmar a sua autenticidade.

ERASTO.
\"O Livro dos Médiuns \" Capítulo XX
Influência Moral do Médium

Como explica Erasto nessas observações que os espíritos embusteiros e mistificadores podem pregar coisas boas para enganar eles podem falar em Deus, Jesus, caridade e amor com segundas intenções.
Eles podem misturar algumas verdades com mentiras e fantasias para iludir e mistificar.
Como disse Erasto
Os médiuns levianos, pouco sérios, chamam, pois, os Espíritos da mesma natureza. É por isso que as suas comunicações se caracterizam pela banalidade, a frivolidade, as idéias truncadas e quase sempre muito heterodoxas, falando-se espiriticamente. CERTAMENTE ELES PODEM DIZER E DIZEM ÀS VEZES BOAS COISAS, MAS É PRECISAMENTE NESSE CASO QUE É PRECISO SUBMETÊ-LAS A UM EXAME SEVERO E ESCRUPULOSO.
PORQUE, NO MEIO DAS BOAS COISAS, CERTOS ESPÍRITOS HIPÓCRITAS INSINUAM COM HABILIDADE E CALCULADA PERFÍDIA FATOS IMAGINADOS, ASSERÇÕES MENTIROSAS, COM O FIM DE ENGANAR OS OUVINTES DE BOA FÉ.

DEVE-SE ENTÃO ELIMINAR SEM PIEDADE TODA PALAVRA E TODA FRASE EQUÍVOCAS, CONSERVANDO NO DITADO SOMENTE O QUE A LÓGICA APROVA OU O QUE A DOUTRINA JÁ ENSINOU.

Erasto.

Wilson Moreno


De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 26/03/18 20:03

Eu tenho a força



O homem, através dos tempos, reconhecendo sua própria fragilidade, concebeu a existência de seres especiais que o defendessem dos maus.

Entre todos os povos, surgiram as lendas e abundaram as histórias de seres dotados de poderes mágicos, alguém com superpoderes. Ou guerreiros de extraordinária força.

Para a imaginação infantil, foram concebidos heróis de todas as formas e espécies: aqueles que salvavam as donzelas dos dragões; os que derrotavam os maus em combates extraordinários; os que vinham em socorro do povo maltratado pela tirania.

Transferidos para as histórias em quadrinhos, faziam a diversão dos pequenos e de muitos adultos que, semana a semana, aguardavam a continuidade dos episódios eletrizantes.

Posteriormente, esses heróis tomaram conta das telas televisivas, com suas peripécias e conquistas.

Foi assim que surgiu o príncipe Adam, do reino de Eternia. Possuidor de uma espada mágica, ele a levantava na direção do céu e proclamava: Pelos poderes de Grayskull... E se transformava em He-man.

Uma vez completa a transformação, ele dizia: Eu tenho a força! E partia, como um guerreiro mágico que era, a lutar contra o mal, utilizando de sua agilidade e superforça.

* * *

Possivelmente, alguns de nós, ante problemas graves, apreciaríamos ter em mãos essa espada mágica que nos conferisse poderes de solução rápida e segura.

Embora não nos demos conta, somos todos dotados de um grande poder. Infelizmente, nos esquecemos de acioná-lo, devidamente.

Esse poder se chama vontade.

A vontade é a gerência esclarecida e vigilante, governando todos os setores da ação mental. É o leme de todos os tipos de força incorporados ao nosso conhecimento.

A eletricidade é energia dinâmica. O magnetismo é energia estática. O pensamento é força eletromagnética. A vontade, contudo, é o impacto determinante.

Nela dispomos do botão poderoso que decide o movimento ou a inércia da máquina. O cérebro é o dínamo que produz a energia mental, segundo a capacidade de reflexão que lhe é própria.

Na vontade temos o controle que dirige essa energia mental nesse ou naquele rumo, estabelecendo causas que comandam os problemas do destino.

Só a vontade é suficientemente forte para sustentar a harmonia do Espírito.

Vontade. Vontade de acertar, de fazer, de crescer. Vontade de superar os óbices que se apresentam e seguir em frente.

Importante que aprendamos a acionar essa força, mais vezes. Dizermos a nós mesmos que somos capazes e que alcançaremos o objetivo a que nos propomos.

Que lutaremos contra a enfermidade que nos toma de assalto as energias e batalharemos para que ela não nos vença.

Que equacionaremos os problemas que nos impedem o crescimento e seguiremos em frente, galgando degrau a degrau, mesmo devagar, mesmo precisando nos deter um pouco antes de prosseguir.

Vontade, comandante de nossa energia mental. Pensemos nisso e não nos detenhamos tanto a examinar as nossas fraquezas e admitir as nossas dificuldades.

Digamos a nós mesmos que somos capazes, que avançaremos mesmo que sejam milímetros, que iremos adiante.

Digamos para nós mesmos: eu tenho a força. Ela se chama vontade.

E nos transformemos nos conquistadores e heróis de nós mesmos.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 2,
do livro Pensamento e vida, pelo Espírito Emmanuel,
psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.
Em 23.3.2018.

De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 26/03/18 07:59

A Obsessão e a Lei de Sintonia.

Os maus espíritos não têm nenhum poder sobre as pessoas de Bem, os bons pensamentos, os sentimentos elevados e as atitudes corretas e honestas, vão sempre repelir as influências espirituais negativas, o Bem é mais forte que o mal, são as nossas imperfeições morais que atraem os espíritos inferiores, perturbadores e obsessores, portanto, a nossa luta é contra as nossas imperfeições morais, combatendo elas os maus espíritos se afastam gradualmente. Assim como as moscas farejam as chagas do corpo, os maus espíritos farejam as chagas morais da alma, para afastar as moscas basta limpar o corpo das suas impurezas físicas, da mesma forma, a pessoa se depurando das suas impurezas morais, ela consegue repelir os espíritos perturbadores e obsessores.

É na elevação moral dos pensamentos e sentimentos e na prática sincera do Bem e das Virtudes, que está a Defesa psíquica contra os maus espíritos.
Não adianta usar amuletos, talismã, velas, roupas brancas, imagens de santos, palavras sacramentais, sinais cabalísticos, nada disso funciona, tudo reside em nossos pensamentos e sentimentos.

Manter contato com espíritos desencarnados que falam palavrões, pedem bebidas alcoólicas, cigarros, charutos, comida e despachos é muito perigoso, por que, esses espíritos estão apegados a matéria.
E como eles estão apegados a matéria eles vão pedir coisas materiais e terrenas.
Vemos claramente que são espíritos atrasados moralmente eles estão ainda muito materializados é por isso que vemos tais espíritos pedirem sempre coisas terrenas como bebidas alcoólicas, cachaça, velas, cigarros, charutos, comida etc...
Um espírito elevado da Luz não vai mandar ninguém beber, fumar e fazer despachos os espíritos elevados e superiores só pregam o bem, as Virtudes, a elevação moral, a fé racional, a pureza dos pensamentos.

Os espíritos elevados procuram sempre moralizar e espiritualizar os encarnados.
Esses espíritos que pedem sempre coisas materiais e terrenas e falam palavrões são espíritos inferiores sem luz.
E quando vc dar para esses espíritos o que eles pedem como bebidas, fumo, comida vc esta contribuindo para manter esses espíritos apegados a matéria.
Perguntamos, como que esses espíritos vão evoluir no campo espiritual e moral pedindo essas coisas como cigarros, charutos, despachos, bebidas alcoólicas, comida etc...
Eles vão se materializar cada vez mais com essas praticas.
Eles precisam se desapegar dessas coisas terrenas para poderem evoluir no campo espiritual e moral.
ELES PRECISAM SE DESAPEGAR da matéria.

Wilson Moreno

De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 22/03/18 16:23

Senhor Jesus mais uma vez agradeço por tudo que tens feito por mim e toda minha família, e peço que continue nos abençoando com muita saúde, paz, amor fé e coragem. Abençoe e proteja,maldades do mundo. Peço também que abençoes e proteja todas as pessoas do mundo inteiro, as crianças e velhos abandonados e perdidos, principalmente aquelas que ainda não te conhecem e precisam da sua misericórdia. Muita luz e paz para todos os desencarnados quer seja por uma morte súbita ou alguma enfermidade e console os familiares que aqui firacam. Obrigada por tudo que recebemos diariamente de ti. Amém!

De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 20/03/18 12:36

Nomes falsos.
Revista Espírita ANO 1 - OUTUBRO 1858 - Nº. 10 de Kardec.

Seja por entusiasmo, por fascinação dos Espíritos, ou por amor-próprio, em geral o médium psicógrafo é levado a crer que são superiores os Espíritos que com ele se comunicam, SOBRETUDO QUANDO TAIS ESPÍRITOS, APROVEITANDO-SE DESSA PRESUNÇÃO, ADORNAM-SE DE TÍTULOS POMPOSOS, TOMANDO NOMES DE SANTOS, DE SÁBIOS, DE ANJOS E DA PRÓPRIA VIRGEM MARIA, CONFORME A NECESSIDADE E SEGUNDO AS CIRCUNSTÂNCIAS. E, PARA DESEMPENHAR SEU PAPEL DE COMEDIANTES, CHEGAM ATÉ MESMO A PORTAR A INDUMENTÁRIA EXTRAVAGANTE DAS PERSONAGENS QUE REPRESENTAM.

TIRAI SUAS MÁSCARAS E VEREIS QUE SE TRANSFORMAM NO QUE SEMPRE FORAM: ILUSTRES DESCONHECIDOS; É O QUE NECESSARIAMENTE DEVEMOS FAZER, TANTO COM OS ESPÍRITOS, QUANTO COM OS HOMENS.

Da crença cega e irrefletida na superioridade dos Espíritos que se comunicam, à confiança em suas palavras não há senão um passo; é o que também acontece entre os homens. Se conseguirem inspirar essa confiança, haverão de sustentá-la por meio de sofismas e dos mais capciosos raciocínios, perante os quais freqüentemente inclinamos a cabeça. Os Espíritos grosseiros são menos perigosos: reconhecemo-los imediatamente e só inspiram repugnância.

OS MAIS TEMÍVEIS, EM SEU MUNDO, COMO NO NOSSO, SÃO OS ESPÍRITOS HIPÓCRITAS: FALAM SEMPRE COM DOÇURA, LISONJEANDO AS MENTES PREDISPOSTAS; SÃO MEIGOS, ADULADORES, PRÓDIGOS EM EXPRESSÕES DE TERNURA E EM PROTESTOS DE DEVOTAMENTO. É PRECISO SER REALMENTE FORTE PARA RESISTIR A SEMELHANTES SEDUÇÕES.

Mas, direis, onde estaria o perigo, desde que os Espíritos são impalpáveis? O perigo está nos conselhos perniciosos que dão, aparentemente benévolos, e nos passos ridículos, intempestivos ou funestos a que somos induzidos. Já vimos alguns Espíritos fazerem com que certas pessoas corressem de país em país, à procura das coisas mais fantásticas, sob o risco de comprometerem a saúde, a fortuna e a própria vida. Vimo-los ditar, com toda aparência de gravidade, as coisas mais burlescas, as máximas mais estranhas.

Allan Kardec.
Revista Espírita ANO 1 - OUTUBRO 1858 - Nº. 10



De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 19/03/18 07:58

O pior inimigo



Um homem, admirável pelas qualidades de trabalho e pelas virtudes do caráter, foi percebido pelos inimigos da Humanidade que conhecemos por ignorância, calúnia, maldade, discórdia, vaidade, preguiça e desânimo.

Juntos, eles tramaram agir contra ele, conduzindo-o à derrota.

A ignorância começou a sua perseguição, apresentando-o ao povo como mau observador das obrigações religiosas.

Dizia que ele se isolava cuidando da terra, cheio de ambições desmedidas para enriquecer à custa do alheio suor. Não tinha fé, nem respeitava os bons costumes.

O lavrador ativo recebeu as notícias da adversária, sorriu calmo e falou com sinceridade: A ignorância está desculpada.

Surgiu, então, a calúnia e o denunciou às autoridades por espião de interesses estranhos. Aquele homem vivia, quase sozinho, para melhor comunicar-se com vasta quadrilha de ladrões.

O serviço policial tratou de minuciosas averiguações e, ao término do inquérito vergonhoso, a vítima afirmou sem ódio: A calúnia estava enganada.

E trabalhou com dobrado valor moral.

Logo veio a maldade, que principiou incendiando-lhe o campo. Destruiu-lhe milharais enormes, prejudicou-lhe a vinha, poluiu-lhe as fontes.

O operário incansável tudo refez, respondendo: Contra as sombras do mal, tenho a luz do bem.

Os perseguidores, reconhecendo que haviam encontrado um Espírito robusto na fé, instruíram a discórdia, que passou a assediá-lo dentro da própria casa.

Provocações o cercaram de todos os lados e, em breve, irmãos e amigos o abandonaram.

O bom homem sofreu bastante mas, ergueu os olhos para o céu e falou:

Meu Deus, estou só. No entanto, continuarei agindo e servindo em Teu nome. Esquecerei a discórdia.

Apareceu, então, a vaidade que foi lhe dizendo:

Você é um grande herói... Venceu aflições e batalhas! Deverá ganhar a auréola dos justos e dos santos!

O trabalhador sincero continuou imperturbável:

Sou apenas um átomo que respira. Toda glória pertence a Deus!

Foi a vez da preguiça lhe acariciar a fronte, com mãos traiçoeiras:

Seus sacrifícios são excessivos. Repouse. Você já perdeu as melhores forças!

Vigilante, o interpelado replicou sem hesitar:

Meu dever é o de servir em benefício de todos, até ao fim da luta.

Afastando-se a preguiça, o desânimo compareceu.

Não atacou de longe, nem de perto. Não se sentou na poltrona para conversar, nem lhe cochichou aos ouvidos. Entrou no coração do operoso lavrador e, depois de se instalar, começou a lhe perguntar:

Para que se esforçar? Por que servir? Não vê que o mundo está repleto de colaboradores mais competentes? Que razão justifica tamanha luta?

Não será melhor deixar tudo por conta de Deus? Que espera? Tudo é inútil... Não se lembra de que a morte destruirá tudo?

O homem forte e valoroso, que triunfara de tantos combates, começou a ouvir aquelas interrogações, deitou-se e passou anos sem se levantar.

* * *

Não permitamos que o desânimo nos impeça de viver, de agir e de sonhar. Sempre que o percebamos por perto, coloquemo-nos em oração, afirmando: Minha alma é maior e mais forte do que você.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 22,
do livro Alvorada Cristã, pelo Espírito Néio Lúcio,
psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.
Em 19.3.2018.


[01] [02] Próxima
 
 
Busca
  
  
  
 
Temas Importantes
- Reencarnação
- Obsessão
- Mediunidade
 
Divulgação
- Indique o Site
- Adicione aos Favoritos
 
Mensagem do dia
“Quando se sinta no dever de reclamar, não faça de seu verbo instrumento de agressão”. André Luiz
 
Boletim Eletrônico
Cadastre seu e-mail e receba mensagens de Luz, textos e outras informações.
E-mail

Assinar Remover
Copyright© 2004/2018 - O Espiritismo - Araraquara/SP - Todos os direitos reservados

Webmaster