Mensagens de Luz  
 
 
  Textos Espíritas  
 
 
  Mural de Recados  
 
 
  Guia de Centros Espíritas  
 
 
  Ouça Mensagens  
 
 
Página Inicial - O Espiritismo
 Home
 A Doutrina
  O que é?
  Conheça Allan Kardec
  Biografias
  Galeria de Imagens
  Fale Conosco
  Links Indicados
  Sugestão de Livros
  Obras Básicas
 O Espiritismo e Você
  Mensagens de Luz
  Textos Espíritas
  Mural de Recados
  Guia de Endereços
  de Centros Espíritas
  Ouça Mensagens
 
 
>> MURAL DE RECADOS
 
Mural
De: thiago lucio de pinho silva
Para: todos
E-mail: ccs@aeb.gov.br
Data: 22/11/17 20:04

thiago lucio de pinho silva

A Umbanda pertence à AEB.

De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 22/11/17 20:02

Sr Jesus venho lhe agradecer por tudo que tens feito por mim e minha familia, e vos pedir que continue nos abençoando sempre com muita saúde, paz, fé, esperança e coragem p enfrentarmos nosso dia a dia sem desanimar.Nos afaste de todo e qualquer espírito encarnado ou desencarnado que possam querer nos prejudicar. Que possamos estar sempre amparados pelos amigos espirituais de luz a nos mostrar o melhor caminho a seguir. Abençoe e proteja todas as pessoas q se encontram perdidas e abandonadas por este mundo afora, que a tua misericórdia possa sempre aumentar a fé de cada um.Que assim seja.Amem

De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 22/11/17 17:38

Autoestima



Como o próprio nome sugere, autoestima diz respeito a essa autoavaliação, ao juízo que fazemos de nós mesmos e se, como resultado disso, sentimo-nos bem ou não conosco mesmos.

A autoestima envolve o auto-respeito, a autoconfiança, a certeza do próprio valor, o bem-querer a si mesmo.

Normalmente, ouvimos os termos baixa autoestima e autoestima elevada, simbolizando os dois extremos bastante comuns.

A baixa autoestima é produto do Eu não valho nada; Não sou ninguém; Pior do que eu, só eu; num processo de desvalorização sistemática em grande parte das situações da vida.

São vítimas constantes, que não conseguem enxergar seu valor, que se desmerecem em toda e qualquer situação. Depreciam-se sempre que têm oportunidade.

Não toleram sua imagem no espelho, sua voz, sua fotografia. Nunca estão satisfeitas com seu corpo. Então, se escondem ou criam mecanismos de mascarar o que acreditam ser horrível mostrar.

Nas relações amorosas frustram-se facilmente, pois não se acham merecedoras do amor do outro e acabam por autoboicotarem-se ou mesmo sabotarem qualquer relacionamento que pareça saudável.

A segunda, a autoestima elevada, fruto do Eu sou o máximo; Melhor do que eu, só eu! Um orgulho exacerbado, uma superioridade agressiva e que chega a extremos de provocar irritação nos outros.

Aparentam se amarem muito, porém, tudo fica nas aparências, pois querem mais parecer do que ser. Usam demais a palavra eu. Eu fiz, eu sei, eu fui. Falam de si, ouvem pouco.

Chegam a dizer ou pensar, muitas vezes: Eu não preciso de ninguém. Eu me basto.

Ambos os casos mostram claramente visões distorcidas da realidade. Os primeiros estão enfermos. E os segundos, também.

Qual o caminho, então, para se construir uma boa autoestima?

Primeiro, o autoconhecimento. Se em ambos os casos nos deparamos com visões falsas, deformadas do eu, é fundamental que tomemos consciência de quem realmente somos, e ainda, de como estamos atualmente em nossa caminhada evolutiva.

Tomemos consciência de nossa realidade, sem máscaras, sem distorções, sem reduções ou amplificações. Não sejamos cruéis nesta autoavaliação nem permissivos. Nenhum dos extremos nos serve.

Depois de conhecer um pouco melhor nosso real estado, passamos para o segundo estágio: a aceitação.

Precisamos nos aceitar como somos, ou melhor, como estamos, pois somos obra em movimento, em construção. Aceitemo-nos com nossas sombras, com nossas falhas, e não deixemos de perceber o quanto de luz emitimos.

Se em algum momento a autoavaliação está nos fazendo enxergar apenas sombras ou, no outro extremo, não vê-las, voltemos ao início e recomecemos o processo, pois a visão ainda está distorcida.

Somos uma coleção de conquistas, de histórias, de vitórias. As derrotas serviram para nos fazer aprender, nos deixar mais fortes e melhor vencer. Nunca nos deixemos medir apenas pelo que nos falta conseguir.

Uma boa autoestima determina tudo em nossa vida: desde a disposição para acordar todo dia, passando pelo tipo de relação que construímos com os outros, que tipo de pessoas atraímos para nosso convívio, até a saúde de nosso corpo físico ao longo da existência terrestre.

Pensemos nisso.

Redação do Momento Espírita.
Em 16.11.2017.


De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 15/11/17 12:13

Objetos matérias como amuletos, talismã, palavras sacramentais, sinais cabalísticos, velas, imagens, exorcismos podem afastar os maus espíritos???
Vejamos as explicações de Kardec.

475. Pode uma pessoa, por si mesma, afastar os maus Espíritos e se libertar do seu domínio?

— SEMPRE SE PODE SACUDIR UM JUGO, QUANDO SE TEM UMA VONTADE FIRME.

477. As fórmulas de exorcismo têm qualquer eficácia contra os maus Espíritos?

— NÃO; QUANDO ESSES ESPÍRITOS VÊEM ALGUÉM TOMÁ-LAS A SÉRIO, RIEM E SE OBSTINAM.

479. A prece é um meio eficaz para curar a obsessão?

— A prece é um poderoso socorro para todos os casos, MAS SABEI QUE NÃO É SUFICIENTE MURMURAR ALGUMAS PALAVRAS PARA OBTER O QUE SE DESEJA. DEUS ASSISTE AOS QUE AGEM, E NÃO AOS QUE SE LIMITAM A PEDIR. CUMPRE, PORTANTO, QUE O OBSEDADO FAÇA, DE SEU LADO O QUE FOR NECESSÁRIO PARA DESTRUIR EM SI MESMO A CAUSA QUE ATRAI OS MAUS ESPÍRITOS.

553. Qual pode ser o efeito de fórmulas e práticas com as quais certas pessoas pretendem dispor da vontade dos Espíritos?

— O de as tornar ridículas, se são de boa-fé; no caso contrário são tratantes que merecem castigo. TODAS AS FÓRMULAS SÃO CHARLATANICES; NÃO HÁ NENHUMA PALAVRA SACRAMENTAL, NENHUM SIGNO CABALÍSTICO, NENHUM TALISMÃ QUE TENHA QUALQUER AÇÃO SOBRE OS ESPÍRITOS, PORQUE ELES SÓ SÃO ATRAÍDOS PELO PENSAMENTO E NÃO PELAS COISAS MATERIAIS.

553.a. Certos Espíritos não ditaram, algumas vezes, fórmulas cabalísticas?

— Sim, tendes Espíritos que vos indicam signos, palavras bizarras, ou que vos prescrevem certos atos, com a ajuda dos quais fazeis aquilo que chamais conjuração. MAS FICAI BEM SEGUROS DE QUE SÃO ESPÍRITOS QUE ZOMBAM DE VÓS E ABUSAM DE VOSSA CREDULIDADE.

554. Aquele que, com ou sem razão, confia naquilo a que chama virtude de um talismã, não pode, por essa mesma confiança, atrair um Espírito? Porque então é o pensamento que age; o talismã não é um signo que ajuda a dirigir o pensamento?

— Isso é verdade; mas a natureza do Espírito atraído depende da natureza da intenção e da elevação dos sentimentos. Ora, é difícil que aquele que é tão simplório para crer na virtude de um talismã não tenha um objetivo mais material do que moral. QUALQUER QUE SEJA O CASO, ISSO INDICA ESTREITEZA E FRAQUEZA DE IDÉIAS, QUE DÃO AZO AOS ESPÍRITOS IMPERFEITOS E ZOMBADORES.

Allan Kardec
O Livro dos Espíritos.

Wilson Moreno

De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 13/11/17 09:22

Quando o assunto é alegria...

Quando se fala em alegria, de pronto nos acode à mente a imagem da criança.

Esse pequeno ser tem a incrível capacidade de ser feliz. E de encontrar alegria em coisas mínimas.

Ele desperta pela manhã disposto a aproveitar integralmente as horas. Sua preocupação é a brincadeira, o brinquedo, algo novo para fazer, algo para ser inventado, criado, experimentado.

Está sempre aberto a explorar coisas novas, enfrentar desafios. Balançar-se um pouco mais alto, subir na árvore, nos galhos mais para cima, alcançar aquela fruta tão apetitosa, lá no topo.

Correr, vencer a si mesmo ou disputar com o amigo quem é mais veloz. E ficar satisfeito por ter chegado ao final, ter concluído o percurso, mesmo que não tenha vencido.

Suado, cansado, deitar-se no chão, respirar fundo, e concluir: Você foi mais rápido, hoje. Mas eu também cheguei até o final!

Criança presta atenção em coisas simples como o beija-flor que visita a roseira, a pétala caída na calçada, a pedrinha encontrada em meio às folhas do jardim.

Cada item, um tesouro, uma riqueza a ser guardada. Algumas apenas na lembrança, outras entre as preciosidades que vão aumentando as suas coleções que contêm desde pedras coloridas a figurinhas dos seus heróis.

Criança ri por tudo e por nada. Pela bolha de sabão que sopra e vai refletindo cores aos raios do sol, pelo balão colorido que tenta escapulir da sua mão.

E se admira ao descobrir o ninho que guarda, zelosamente, os ovinhos do pássaro prudente.

Criança se diverte com o som diferente da buzina de um carro, com o sacolejar mais intenso do ônibus escolar, ao passar em uma rua um pouco acidentada.

Criança se sente feliz por estar com o amigo, com o colega.

Tudo é motivo para gozar felicidade. Ela não se pergunta se durará o momento ou logo acabará. Usufrui enquanto ele acontece. Vive o presente.

Então, quando o assunto é alegria é bom mesmo observarmos as crianças.

Observarmos e vermos com que facilidade fazem novos amigos, dão a mão, convidam para partilhar a brincadeira.

Com que felicidade se enturmam, se divertem, se entendem com o outro.

Superam, de forma rápida, as barreiras linguísticas usando o olhar, mímica, gestos. Não se preocupam em parecerem tolas e talvez merecerem olhares estranhos de outras pessoas.

Elas nos ensinam a deixar as diferenças de lado e descobrir em cada um o que tenha de melhor.

A não se importar com o que o outro está vestindo, nem como penteia o cabelo. Aliás, na sua espontaneidade, têm a capacidade de perguntar: Por que o seu cabelo é dessa cor?

Esbanjando entusiasmo, projetam o futuro. Pensam o que serão quando crescerem e o sonho não tem limites.

Não se retêm no passado, pensam sempre no outro dia, aquele que virá, que ainda poderá trazer mais novidades, satisfação, alegria.

* * *

Todos passamos pela fase da infância. Parece que, ao nos tornarmos adultos, esquecemos a magia. Quem sabe seja interessante lembrarmos alguns daqueles momentos.

Lembrarmos de como éramos empreendedores, como tínhamos os olhos brilhando de esperança.

Quem sabe agora, neste momento, seja a oportunidade de lembrar da criança que fomos e voltarmos a ter a certeza de que podemos, devemos e merecemos ser felizes.


Redação do Momento Espírita.
Em 9.11.2017.

De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 10/11/17 15:39

Caríssimos, não acrediteis em todos os Espíritos, mas provai se os Espíritos são de Deus, porque são muitos os falsos profetas que se levantaram no mundo. (João, Epístola I, cap. IV: 1).
Vejamos as Orientações de Kardec .

261. Certamente se dirá que se um Espírito pode imitar uma assinatura, pode também imitar a linguagem. É verdade. Temos visto os que tomam afrontosamente o nome do Cristo e para melhor enganar imitam o estilo evangélico excedendo-se nas expressões mais conhecidas: em verdade, em verdade vos digo.
MAS QUANDO SE ESTUDA O TEXTO SEM SE DEIXAR INFLUENCIAR, PERSCRUTANDO O FUNDO DOS PENSAMENTOS E O ALCANCE DAS EXPRESSÕES, VENDO-SE AO LADO DAS BELAS MÁXIMAS DE CARIDADE RECOMENDAÇÕES PUERIS E RIDÍCULAS, SERIA PRECISO QUE SE ESTIVESSE FASCINADO PARA SE ENGANAR. Sim, certos aspectos formais da linguagem podem ser imitados, mas não o pensamento.

A ignorância jamais imitará o verdadeiro saber, como jamais o vício imitará a verdadeira virtude. Sempre aparecerá de algum lado a ponta da orelha. É então que o médium e o evocador devem usar de toda a sua perspicácia e raciocínio para separar a verdade da mentira. DEVEM PERSUADIR-SE DE QUE OS ESPÍRITOS PERVERSOS SÃO CAPAZES DE TODAS AS TRAPAÇAS E DE QUE, QUANTO MAIS ELEVADO FOR O NOME USADO, MAIS DESCONFIANÇA DEVE PROVOCAR. QUANTOS MÉDIUNS TÊM RECEBIDO COMUNICAÇÕES APÓCRIFAS ASSINADAS POR JESUS, MARIA OU ALGUM SANTO VENERADO!

266.Submetendo-se todas as comunicações A RIGOROSO EXAME, sondando e analisando suas idéias e expressões, como se faz ao julgar uma obra literária e REJEITANDO SEM HESITAÇÃO TUDO O QUE FOR CONTRÁRIO À LÓGICA E AO BOM SENSO, tudo o que desmente o caráter do Espírito que se pensa estar manifestando, consegue-se desencorajar os Espíritos mistificadores que acabam por se afastar, desde que se convençam de que não podem nos enganar. REPETIMOS QUE ESTE É O ÚNICO MEIO, MAS É INFALÍVEL PORQUE NÃO EXISTE COMUNICAÇÃO MÁ QUE RESISTA A UMA CRÍTICA RIGOROSA.
Os Espíritos bons jamais se ofendem, pois eles mesmos nos aconselham a proceder assim e nada têm a temer do exame. Somente os maus se melindram e procuram dissuadir-nos, porque têm tudo a perder. E por essa mesma atitude provam o que são.

Eis o conselho dado por São Luís a respeito:
\"Por mais legítima confiança que vos inspirem os Espíritos dirigentes de vossos trabalhos, há uma recomendação que nunca seria demais repetir e que deveis ter sempre em mente ao vos entregardes aos estudos: A DE PESAR E ANALISAR, SUBMETENDO AO MAIS RIGOROSO CONTROLE DA RAZÃO TODAS AS COMUNICAÇÕES QUE RECEBERDES; a de não negligenciar, desde que algo vos pareça suspeito, duvidoso ou obscuro, de pedir as explicações necessárias para formar a vossa opinião.\"

Allan Kardec
O Livro dos Médiuns cap 24

Wilson Moreno

De: Alexsandra Araujo
Para: Todos
E-mail: alexsandra@embarkviagens.com.b
Data: 05/11/17 19:45

A Lei do Amor: O amor resume toda a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. No seu ponto de partida, o homem só tem instintos; mais avançado e corrompido, só tem sensações; mais instruído e purificado, tem sentimentos; e o amor é o requinte do sentimento. Não o amor no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior, que reúne e condensa em seu foco ardente todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas.
Leia o texto completo: http://espiritismosemfronteiras.com.br/lei-do-amor/

De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 03/11/17 10:45

Sr Jesus agradeço por tudo que tens feito por mim e toda minha família, e peço que não deixe eu perder minha fé em ti, quando me sentir desamparada, me ajude a levantar e acreditar que dias melhores virão, não permita que espíritos menos bons possam me influenciar a desistir de lutar e acreditar em ti. Da-me força,coragem, esperança, otimismo, paz, saúde, alegria, amor, fé e certeza que estas sempre comigo, me amparando e iluminando meu caminho. Permita que apenas Paz e Luz ilumine o meu caminho. Agradeço hoje e sempre! Que assim seja!

De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 03/11/17 09:20

As Orientações de Kardec para Identificar os espíritos.
Como podemos saber se um espírito é bom ou mau??
Se ele é elevado ou atrasado???
Se ele fala a verdade ou mentiras???
Vejamos as explicações de Kardec com muita atenção.

JULGAMOS OS ESPÍRITOS PELA SUA LINGUAGEM e as suas ações. As ações dos Espíritos são os sentimentos que eles inspiram e os conselhos que dão.
ADMITIDO QUE OS ESPÍRITOS BONS SÓ PODEM DIZER E FAZER O BEM, TUDO O QUE É MAU NÃO PODE PROVIR DE UM ESPÍRITO BOM.

A linguagem dos Espíritos superiores é sempre digna, elevada, nobre, sem qualquer mistura de trivialidade. Eles dizem tudo com simplicidade e modéstia, nunca se vangloriam, não fazem jamais exibição do seu saber nem de sua posição entre os demais. A linguagem dos Espíritos inferiores ou vulgares tem sempre algum reflexo das paixões humanas. TODA EXPRESSÃO QUE REVELE BAIXEZA, AUTO-SUFICIÊNCIA, ARROGÂNCIA, FANFARRONICE, MORDACIDADE É SINAL CARACTERÍSTICO DE INFERIORIDADE. E DE MISTIFICAÇÃO, SE O ESPÍRITO SE APRESENTA COM UM NOME RESPEITÁVEL E VENERADO.

Não devemos julgar os Espíritos pelo aspecto formal e a correção do seu estilo, mas SONDAR-LHES O ÍNTIMO, ANALISAR SUAS PALAVRAS, PESÁ-LAS FRIAMENTE, MADURAMENTE E SEM PREVENÇÃO. TODA FALTA DE LÓGICA, DE RAZÃO E DE PRUDÊNCIA NÃO PODE DEIXAR DÚVIDA QUANTO À SUA ORIGEM, QUALQUER QUE SEJA O NOME DE QUE O ESPÍRITO SE ENFEITE.

Os Espíritos bons só dizem o que sabem, calando-se ou confessando a sua ignorância sobre o que não sabem. Os maus falam de tudo com segurança, sem se importar com a verdade. TODA HERESIA CIENTÍFICA NOTÓRIA, TODO PRINCÍPIO QUE CHOQUE O BOM SENSO REVELA A FRAUDE, SE O ESPÍRITO SE APRESENTA COMO ESCLARECIDO.

DEVEMOS DESCONFIAR DOS NOMES BIZARROS E RIDÍCULOS USADOS POR CERTOS ESPÍRITOS que desejam impor-se à credulidade. Seria extremamente absurdo tomar esses nomes a sério.

DEVEMOS IGUALMENTE DESCONFIAR DOS ESPÍRITOS QUE SE APRESENTAM COM MUITA FACILIDADE USANDO NOMES BASTANTE VENERADOS, E SÓ COM MUITA RESERVA ACEITAR O QUE DIZEM. Nesses casos, sobretudo, é que um controle severo se torna indispensável. Porque é freqüentemente a máscara que usam para levar-nos a crer em pretensas relações íntimas com Espíritos excelsos. Dessa maneira eles lisonjeiam a vaidade do médium e se aproveitam dela para o induzirem a atos lamentáveis e ridículos.

OS ESPÍRITOS LEVIANOS SÃO AINDA RECONHECIDOS PELA FACILIDADE COM QUE PREDIZEM O FUTURO e se referem com precisão a fatos materiais que não podemos conhecer. Os Espíritos bons podem fazer-nos pressentir as coisas futuras, quando esse conhecimento for útil, mas jamais precisam as datas. TODO ANÚNCIO DE ACONTECIMENTO PARA UMA ÉPOCA CERTA É INDÍCIO DE MISTIFICAÇÃO.

Submetendo-se todas AS COMUNICAÇÕES A RIGOROSO EXAME, sondando e analisando suas idéias e expressões, como se faz ao julgar uma obra literária e REJEITANDO SEM HESITAÇÃO TUDO O QUE FOR CONTRÁRIO À LÓGICA E AO BOM SENSO, tudo o que desmente o caráter do Espírito que se pensa estar manifestando, consegue-se desencorajar os Espíritos mistificadores que acabam por se afastar, desde que se convençam de que não podem nos enganar. REPETIMOS QUE ESTE É O ÚNICO MEIO, MAS É INFALÍVEL PORQUE NÃO EXISTE COMUNICAÇÃO MÁ QUE RESISTA A UMA CRÍTICA RIGOROSA.
Os Espíritos bons jamais se ofendem, pois eles mesmos nos aconselham a proceder assim e nada têm a temer do exame. Somente os maus se melindram e procuram dissuadir-nos, porque têm tudo a perder. E por essa mesma atitude provam o que são.

Eis o conselho dado por São Luís a respeito:
\"Por mais legítima confiança que vos inspirem os Espíritos dirigentes de vossos trabalhos, há uma recomendação que nunca seria demais repetir e que deveis ter sempre em mente ao vos entregardes aos estudos: A DE PESAR E ANALISAR, SUBMETENDO AO MAIS RIGOROSO CONTROLE DA RAZÃO TODAS AS COMUNICAÇÕES QUE RECEBERDES; a de não negligenciar, desde que algo vos pareça suspeito, duvidoso ou obscuro, de pedir as explicações necessárias para formar a vossa opinião.\"

Allan Kardec
O Livro dos Médiuns cap 24

Wilson Moreno

De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 01/11/17 19:24

Testamento



Você já providenciou o seu testamento? Já decidiu a quem deixar os seus bens, quando a morte vier lhe ceifar a vida física?

Alguma vez já cogitou quantos transtornos poderão ser evitados se a partilha de tudo que você dispõe for decidida, por você mesmo, quando ainda goza das suas faculdades mentais e a saúde lhe sorri, abençoando-lhe os dias?

Quando você cogitar da divisão dos seus bens, elegendo herdeiros, pense em tudo o que você pode passar para os seus filhos, desde hoje.

Antes que a morte roube sua presença física do lar onde seus rebentos crescem sadios, ante seu olhar amoroso, medite nos valores que são imperecíveis e que lhe cabe ofertar.

Pense no valor honestidade. Já ensinou seu filho a ser honesto?

E ser honesto não quer dizer somente não se apossar do que não lhe seja devido. Significa muito mais.

Falando com seus filhos, estimule-os a serem honestos em todas as circunstâncias.

Não colando nas provas, não mentindo, mesmo que seja para ganhar no jogo de futebol da turma. Dizer toda a verdade mesmo que fiquem em apuros.

E não deturpar um pouquinho só a verdade, para que não soe tão mal, ou mentir para se proteger.

Como o melhor método de ensino é o exemplo, não esqueça de exemplificar sempre, com sua própria conduta.

E a coragem? Já a demonstrou ou buscou ensinar a seu filho?

Coragem que é ousadia para tentar realizar coisas boas, embora difíceis. Coragem que é força para não fazer o que todos fazem, mas dizer não, manter sua posição e até influenciar os outros positivamente.

Coragem que significa ser fiel às convicções e seguir os bons impulsos, mesmo que para todos os demais possam parecer tolos ou inconvenientes.

Coragem de demonstrar os próprios sentimentos, de ser afetuoso, de ser amigo.

Coragem de fazer o que é certo, mesmo que seja sozinho.

Verdadeiramente, estes são valores que você, de forma alguma, poderá repassar em testamento.

Mesmo porque, quando não estiver mais em corpo físico ao lado dos seus filhos, terá passado a oportunidade da sua educação.

Aproveite, pois, o dia que vive ao lado deles e fale-lhes do respeito.

Respeito pela vida, pelos pais, pelos mais velhos, pela natureza, pelas crenças e direitos dos outros.

Fale-lhes da diversidade enorme de sentimentos dos seres humanos e ensine-os a ter respeito por todos.

Se você se empenhar, desde já, em passar valores verdadeiros a seus filhos, guarde a certeza de que, se vier a morrer sem ter deixado bem documentadas suas últimas vontades, eles saberão o que fazer.

Mais do que isso: agirão com dignidade, atendendo às lições que lhes foram repassadas.

E se você é dos que afirmam que nada tem de material para legar aos seus filhos, ministre desde logo as lições do bem, da honradez, para que, quando se for, possa partir com a consciência tranquila a lhe apontar que cumpriu seu dever de pai e educador, com muita propriedade.

Pode não deixar recursos amoedados, mas terá legado ao mundo o de que ele mais necessita: homens de bem.

* * *

Os seus filhos poderão crescer e acabar desenvolvendo valores diferentes dos seus e dos que tentou ensinar.

Contudo, a sua mensagem de valores permanecerá indelével em suas mentes. Um dia, eles a recordarão e a utilizarão, mesmo que seja em dias avançados de suas vidas, após terem cometido erros e desacertos.

Não deixe, assim, passar em branco a oportunidade presente.



Redação do Momento Espírita.
Disponível no livro Momento Espírita, v. 8, ed. FEP.
Em 1.11.2017.

De: Franklin Callado de Souza
Para: Leitores
E-mail: rdibernardi@gmail.com
Data: 31/10/17 15:15

Franklin é membro do Grupo Espírita \"Caridade Cristã\" fundado em 1963 em Florianópolis que funcionou na Federação Espírita e hoje funciona na sede do Instituto de Cultura Espírita de Florianópolis. Aos 70 anos é emérito estudioso de literatura espírita e espiritualista, bem como de filosofia e ciência em geral. Sendo deficiente físico dedicou sua vida aos estudos autodidatas, apreciando escrever pequenos textos que sugerimos aqui serem publicados após exame pela revista espírita, já que possui muitos textos escritos sem serem publicados, mas lidos nas reuniões de estudos no ICEF.

De: Bete Moreira
Para: Todos
E-mail: luannina2012@hotmail.com
Data: 27/10/17 14:10

Morrer lentamente



Morre lentamente quem não sorri para uma nova manhã, quem esqueceu de olhar as estrelas na noite anterior e quem não se encanta com a grandiosidade da natureza à sua volta.

Morre lentamente quem não encontra graça em si mesmo, quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão seu guru, ou sua única companhia.

Morre lentamente quem não toma iniciativa alguma quando está infeliz com seu trabalho, quem não arrisca nem um pouco que seja, para ir atrás de um sonho.

Morre lentamente quem passa os dias se queixando de sua má sorte ou da chuva incessante ou do sol intenso.

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, quem não pergunta sobre um assunto que desconhece, ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Morre lentamente quem não mais agradece a Deus pelos filhos que lhe deu, ou pelos pais que o receberam neste mundo.

Morre lentamente quem não retribui o sorriso de um bebezinho, e quem não acha fascinante a forma pela qual chegamos todos a este mundo.

Morre lentamente quem não abraça, quem não beija, quem não expressa carinho de alguma forma – mesmo que através de um olhar.

Morre lentamente quem é adepto de expressões como este mundo não tem jeito mesmo, ou a coisa está cada dia pior.

Morre lentamente quem se desespera com a perda de um amor, e não consegue perceber que há muitos que podem ser amados por nós, e muitos que podem nos amar profundamente.

Morre, sem perceber, dia após dia, quem não se dedica à felicidade de alguém, quem não se doa, quem não divide o que tem - material e espiritualmente – com outras pessoas.

* * *

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar.

Estar vivo pressupõe agir, e não apenas reagir. Toda reação é perigosa, pois comumente não passa pelo processamento seguro da razão.

Estar vivo implica em fazer avaliações constantes, não avaliações dos outros, mas de nós mesmos e de nosso viver.

Quem não se avalia perde grandes chances de se aprimorar, de poder mudar de rumo quando percebe que a direção poderia ser outra.

Estar vivo significa: entusiasmo - carregar Deus em nossa alma, levar a certeza de Sua presença em nossas vidas e a vontade de conquistar os altos páramos da felicidade.

* * *

Vivo para que o sol tenha sentido, e é minha luminescência que ele espelha e devolve ao orbe, agradecido.

Vivo para que a chuva lave o ar, e leve volte ao éter com meu perfume elegante, de árvore vigorosa de seiva sã.

Vivo para que o amor tenha vazão, e não deseje razão – pois de condição o amar não precisa.

Vivo para florescer outros jardins, e sem perceber o meu se abarrota de lírios, ciclames, girassóis...

Vivo cada dia como se fosse cada dia. Nem o último nem o primeiro - o único.

Redação do Momento Espírita, com base no
texto Quem morre, de Martha Medeiros.
Em 27.10.2017.


 
 
Busca
  
  
  
 
Temas Importantes
- Reencarnação
- Obsessão
- Mediunidade
 
Divulgação
- Indique o Site
- Adicione aos Favoritos
 
Mensagem do dia
“Espíritas! Amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este é o segundo”. Allan Kardec
 
Boletim Eletrônico
Cadastre seu e-mail e receba mensagens de Luz, textos e outras informações.
E-mail

Assinar Remover
Copyright© 2004/2017 - O Espiritismo - Araraquara/SP - Todos os direitos reservados

Webmaster